O presente sem futuro

Sabemos que o futuro é o resultado do presente. Mas, com frequência, esquecemos que o presente também é o futuro que somos capazes de imaginar. Esgotado em si mesmo, o presente torna-se insuportável. O grande desafio atual é justamente como imaginar um futuro que não seja uma distopia. O desconforto que vivemos hoje não é um acontecimento cíclico, como alguns acreditam, mas sim um canto histórico sem precedentes na trajetória humana, formada por três grandes crises: a climática, a da democracia e a digital.

MARAVILLAS DELGADO (Reprodução do El País)

MARAVILLAS DELGADO (Reprodução do El País)

El presente sin futuro

Hay que recuperar la capacidad de imaginar un futuro no solo donde podamos vivir, sino donde queramos vivir

 

 Leia na minha coluna no El País (somente em espanhol)

Solo falta contárselo al Papa

Aunque los hombres de la Iglesia no lo admitan ni en el confesonario, las mujeres de la Iglesia son las que les disputan las almas a las denominaciones evangélicas pentecostales y neopentecostales, que se multiplican a una velocidad acelerada en los asentamientos de pequeños agricultores, comunidades extractivas y aldeas indígenas en la Amazonia.

ENCONTRO AMAZÓNICO Presidente Kuczynski participa do encontro do papa Francisco com os povos da AmazIonia Amazonía em Puerto Maldonado. Foto Andres Valle/Fotos Públicas, 19/01/2018

Presidente Kuczynski participa do encontro do papa Francisco com os povos da Amazônia  em Puerto Maldonado.  Andres Valle/Fotos Públicas/19/01/2018

Leia na minha coluna no jornal impresso El País, de Madri

As bolas de ouro

O UOL Esporte fez um projeto muito bacana. Convidou escritores para fazer crônicas, jornalismo ou ficção. A cada um coube uma Copa. A mim coube as de 2002 e 2014.

Para 2002, escrevi uma ficção sobre o jogo em que o Brasil derrotou a Inglaterra com um gol de Ronaldinho Gaúcho. Um casal, uma madrugada de jogo, gauchismo clássico, sexo e racismo.

Para 2014, escrevi uma crônica a partir de um episódio que vivenciei quando cobri a copa pela Folha de S. Paulo. Os 7X1 se desenhavam há muito tempo. Poucas coisas foram tão reveladoras nos meus 30 anos de jornalismo quanto cobrir a seleção brasileira na Granja Comary pelas beiradas.
Para quem quiser, aqui está:

COPA 2002

2002: Dentes

https://www.uol/copadomundo/especiais/copa-brasileira-de-letras-2002-eliane-brum.htm

copa 2014

2014: Antes dos 7X1

https://www.uol/copadomundo/especiais/copa-brasileira-de-letras-2014-eliane-brum.htm

 

E aqui, caso alguém se interesse, minha cobertura em 2014:
http://elianebrum.com/desacontecimentos/os-outros-lados-da-copa-do-mundo/

 

Página 5 de 31« Primeira...34567...102030...Última »