Precisamos falar sobre o PSDB

Precisamos falar como o partido abandonou a social-democracia, migrou para a direita e deixou amplas digitais na destruição do processo democrático. Um dos principais riscos da polarização é justamente embaralhar o que é continuidade e o que é ruptura. Neste momento, em que o PSDB, hoje um partido de direita, tenta se vender como o “centro” que um dia foi, é fundamental recuperar a perspectiva do processo histórico. A falta de responsabilização do PSDB como um dos principais agentes de destruição da democracia é um dos enigmas da atual paisagem política brasileira. Ao embarcar no discurso do antipetismo, o PSDB colaborou fortemente para colocar na conta exclusiva do PT todo o desencanto com a política e os políticos, ao mesmo tempo em que se aproximou de tudo o que Jair Bolsonaro representa e defende. O partido deixou amplamente suas digitais na corrosão da democracia cujas consequências são Jair Bolsonaro. O PSDB não é apenas mais um que tem seu DNA na mais recente escalada autoritária do Brasil. O PSDB está em sua gênese.

José Serra, João Doria e Bruno Araújo —presidente da sigla— durante a 15ª convenção do PSDB, em maio de 2019.ORLANDO BRITO / PSDB (Reprodução do El País)

José Serra, João Doria e Bruno Araújo —presidente da sigla— durante a 15ª convenção do PSDB, em maio de 2019. ORLANDO BRITO /PSDB (Reprodução do El País)

Leia no EL PAÍS (em português e em espanhol)

Vote em Marielle

A polarização já não se dá entre Bolsonaro e Lula, mas entre Bolsonaro e Marielle Franco.

Manifestantes seguram faixa alusiva a Marielle Franco em protesto contra.Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, em 7 de junho de 2020.PILAR OLIVARES / REUTERS (Reprodução do El País)

Manifestantes seguram faixa alusiva a Marielle Franco em protesto contra .Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, em 7 de junho de 2020. PILAR OLIVARES / REUTERS (Reprodução do El País)

Leia no El País 

Página 1 de 5212345...102030...Última »